21/08/2019
CPRM

Evento marca comemoração dos 50 anos

Um evento reunindo empregados e colaboradores marcou a solenidade de abertura oficial das comemorações dos 50 anos de atividades do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) no auditório do Ministério de Minas e Energia. Na cerimônia foi exibido vídeo institucional sobre o “cinquentão”, apresentações sobre o valor público dos projetos que impactam de maneira positiva a sociedade e a transformação digital em curso na empresa, além de depoimentos de empregados, representantes do setor mineral e da Defesa civil e personalidades. A CPRM foi homenageada com uma placa e exposição interativa com painéis, além da Sandbox, caixa de areia de realidade aumentada, que permite simular a topografia do relevo/terreno, a formação de bacias hidrográficas e os processos geomorfológicos, que estudam as formas da superfície terrestre.

O diretor-presidente da CPRM, Esteves Colnago, mencionou a importância de empregados e colaboradores na construção da história da empresa. “Essa homenagem está sendo realizada para vocês, que são a energia que move o Serviço Geológico do Brasil”, disse. Colnago recordou os projetos desenvolvidos nas áreas de geologia, recursos minerais, hidrologia, gestão territorial e inovação tecnológica e a importância de cada um deles, além de parcerias estratégicas com a Petrobras, ANP e Visiona, que irão promover um avanço tecnológico, implantação de modernos laboratórios e monitoramento em tempo real por meio de nanosatélites.

O ministro do MME, Bento Albuquerque, por conta de compromissos na China não pode comparecer, mas enviou mensagem aos empregados da CPRM, lida pelo secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, Alexandre Vidigal. “Mesmo à distância, procurando divulgar as oportunidades de investimentos nas áreas de mineração, petróleo, gás natural e energia elétrica, não poderia deixar de participar, de alguma das comemorações e de parabenizar a todos os empregados, formulando votos de continuado sucesso no cumprimento de todas as atribuições que lhes foram confiadas. Desde que assumimos a gestão do ministério tivemos a grata satisfação de acompanhar de perto os trabalhos desenvolvidos pelos profissionais altamente qualificados dessa instituição de Estado e de constatar o seu papel primordial na dinamização do setor mineral brasileiro e na prevenção de desastres naturais”, disse o ministro na mensagem. O ministro reafirmou ainda compromisso de fortalecer a CPRM, proporcionando os instrumentos necessários para que possam prosseguir gerando e disseminando o conhecimento em prol do desenvolvimento sustentável do país.

A pesquisadora em geociências, Mylene Berbert-Born, apresentou os valores públicos gerados pela empresa: "a água é tudo, é simplesmente tudo, é necessária para o desenvolvimento, saneamento, qualquer atividade requer água. Para desastres naturais, a palavra que poderia definir seria paz, as pessoas que estão sujeitas a possíveis desastres não têm paz. O ordenamento territorial eu definiria como justiça; a justiça nesse caso é o acesso igualitário, a organização da vida, no dia a dia. É nisso que a CPRM está envolvida e comprometida”, disse Mylene. Edgar Shinzato, chefe da Divisão de Informática, relatou as iniciativas da empresa de Transformação Digital em andamento na instituição, que busca o uso combinado de plataformas tecnológicas, sensores, satélites e aplicativos para garantir a evolução tecnológica na coleta e transmissão dados e informações.

Depoimentos

Marília Lemos, analista em geociências, deu um depoimento emocionado, relatando sua experiência em trabalhar na CPRM. “Eu me senti à vontade. Fui bem acolhida”, contou Marília, que entrou na empresa em 2014. O diretor Fernando Carvalho, um dos empregados mais antigos da empresa, contou também como é trabalhar na empresa há mais de 40 anos. “Convivi com pessoas extraordinárias, que muito me ensinaram”. Carvalho contou um pouco sobre a história de criação da CPRM e sua importância para a sociedade. “A CPRM ocupou uma lacuna que existia, de uma instituição, que proporcionasse formação geológica e hídrica compatível com a necessidade do País”, disse, citando a exposição de motivos, de criação da CPRM em 1969, do então ministro Dias Leite, considerado o fundador da CPRM.

Durante a solenidade, a CPRM entregou também produtos de cartografia geológica referente ao Termo de Execução Descentralizada, firmado entre o Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia e os Comandos da Marinha, Exército e Aeronáutica. O trabalho no campo foi lembrado em diversas vezes ao longo da cerimônia, onde os empregados aproveitam para contemplar a natureza. O registro captado pelo técnico em geociências Flávio Faleiro ganhou o concurso de fotografia promovido pela comissão organizadora das comemorações do cinquentenário. A foto foi captada durante a campanha de amostragem geoquímica do projeto São Raimundo Nonato no estado do Piauí. "O trabalho de campo propicia experiências que jamais teríamos no escritório", comentou Flávio.