Estimativas de novos depósitos são 73% maiores sobre 2019

20/09/2021

A Equinox Gold Corp. anunciou os resultados de um estudo de pré-viabilidade para a expansão da mina de ouro Aurizona, 100% controlada pela companhia, localizada no estado do Maranhão. Realizando-se a lavra subterrânea e a céu aberto de Piaba, conjuntamente com a lavra a céu aberto de depósitos satélites, a expansão poderia estender a vida útil da mina em 11 anos, com uma produção média anual de ouro de 137 mil onças e uma produção total, na vida útil, de 1,5 milhão de onças. O pico de produção seria entre 2026 e 2029, com uma produção anual média de 160 mil onças de ouro.  

As estimativas atualizadas de reservas e recursos minerais para Aurizona, incorporando os novos depósitos subterrâneos e a céu aberto e compensando 18 meses de depleção da mina mostram um aumento de 73% em relação à estimativa de 31 de dezembro de 2019, com 1,7 milhão de onças de reservas minerais comprovadas e prováveis com teor de 1,60 gramas por tonelada de ouro mais 868.000 onças de Recursos Minerais Medidos e Indicados (excluindo Reservas) com teor de 1,49 g/t de ouro. "Incorporar os depósitos subterrâneos e satélites de Aurizona em nosso plano de mina quase dobrará a vida útil da mina Aurizona, aumentará a produção anual e gerará quase US$ 1 bilhão de fluxo de caixa líquido aos preços atuais do ouro. Estamos incrivelmente orgulhosos do que nossa equipe realizou em Aurizona. A expansão criará oportunidades econômicas e sociais adicionais para nossos parceiros da comunidade e valor substancial para nossos acionistas, com significativo potencial de crescimento à medida que continuamos a explorar o que poderia vir a ser uma mina de várias décadas", disse Christian Milau, CEO da Equinox Gold. 

A Equinox Gold atingiu a produção comercial em Aurizona em julho de 2019, após a construção de uma nova planta e atualização da infraestrutura existente. Com um gasto de capital inicial de apenas US$ 160 milhões, o projeto Aurizona produziu mais de 260.000 onças de ouro e gerou mais de US$ 190 milhões em fluxo de caixa livre desde o início da produção. O depósito de ouro de Piaba contém mineralização de ouro em um sistema de veios que se estende por pelo menos quatro km ao longo de um ponto com depósitos de satélite menores a leste e oeste do depósito principal de Piaba. Perfurações recentes mostraram que a mineralização de ouro também se estende abaixo da cava a céu aberto a profundidades superiores a 1.000 metros da superfície. No último ano, um total de 65 furos a diamante, totalizando quase 26.000 m, foram perfurados no depósito subterrâneo para apoiar o PFS e a estimativa de recursos subterrâneos. No acumulado do ano, 30 furos totalizando cerca de 11.000 m foram perfurados no subterrâneo de Piaba, Tatajuba e depósitos satélite, cujos resultados serão incorporados na próxima atualização de reserva e recurso. 

A expansão irá incorporar minério do depósito a céu aberto existente junto com o depósito subterrâneo de Piaba e os depósitos a céu aberto de Tatajuba, Boa Esperança e Genipapo. Embora a mina expandida continue a usar o moinho existente e a infraestrutura de superfície, a linha de força existente precisará ser atualizada e a mina exigirá rejeitos adicionais e armazenamento de estéril. A mineração e o processamento de minério subterrâneo, simultaneamente com o minério a céu aberto, aumentarão o teor médio de alimentação do moinho, aumentará a produção anual de ouro e estenderá a vida útil da mina para 11 anos. O PFS considera a adição de uma mina subterrânea abaixo da cava Piaba existente, bem como a inclusão de duas áreas de cava a céu aberto: Tatajuba e Genipapo.

A mina subterrânea será desenvolvida ao longo de um comprimento total de ataque de 2,3 km abaixo do poço Piaba. O acesso à mina será por meio de uma rampa construída em rocha dura dentro da cava. As sete áreas de mineração separadas atualmente definidas serão acessadas por um declínio de transporte principal de 2 km com rampas internas separadas. Os primeiros 800 m do transporte principal serão desenvolvidos como um único rumo ao local do elevador de ventilação primário, que também fornece saída de emergência. A partir desse ponto, a rampa será desenvolvida como um arranjo de rampa dupla, com a segunda rampa usada para fins de ventilação durante a produção. Todo o desenvolvimento da mina subterrânea está em unidades de rocha estável localizadas no lado da parede suspensa do corpo mineralizado. 

O PFS contempla um capex de US$ 154 milhões e um cronograma de três anos para implantação, caso a frota para mineração subterrânea seja adquirida. No caso de arrendamento da frota, os custos de capital seriam reduzidos em US$ 25 milhões. Os investimentos em sustaining são previstos em US$ 383 milhões, sendo US$ 60 milhões para a mina subterrânea, US$ 79 milhões para decapagem a céu aberto e US$ 178 milhões para infraestrutura. Deste valor, US$ 98 milhões seriam para instalações de rejeitos adicionais.