13/04/2017
FOSFATADOS

CPRM encontra ocorrência no Piauí

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM), através de diversos estudos sobre minerais estratégicos, encontrou ocorrência de rocha fosfática com teor relativamente elevado de fósforo em Poço D’Anta, município de Jacobina (PI). As mineralizações foram identificadas numa área de 24km², em três afloramentos, ao longo de 6,5 km de extensão. A largura das zonas aflorantes varia de 40 a 400 metros. 
 
A área atraiu interesse de mineradoras que pretendem realizar pesquisas para dimensionar o tamanho da reserva e sua viabilidade econômica. A descoberta foi feita pelos geólogos Douglas Silveira e Camila Basto, durante trabalho de campo do projeto de Integração Geológica e de Recursos Minerais das Faixas Marginais da Borda Norte-Noroeste do Cráton São Francisco - Subárea Riacho do Pontal e Província Borborema, inseridos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC3). A descoberta foi divulgada no informe técnico lançado pela CPRM em 2015, que visa divulgar ao setor mineral informações relevantes e preliminares sobre projetos em execução pela instituição, e também no VII Simpósio Brasileiro de Exploração Mineral (Simexmin), no ano passado. “Eu e Camila Basto, como geólogos do projeto, sentimos enorme satisfação ao ver que nosso trabalho alcançou o objetivo: com resultados concretos que podem levar a uma transformação econômica significativa para a região”, avalia Douglas Silveira, pesquisador à frente do trabalho.
 
Silveira explica que as descobertas estão inseridas na Unidade geológica Grupo Ipueirinha, que possui uma extensão de aproximadamente 550 km², o que sugere possibilidades de que mais ocorrências similares possam ser identificadas na região. “Existe uma tendência de crescimento da demanda por fertilizantes visando aumento da produção agrícola e a descoberta de novos depósitos de fosfato é estratégica para o Brasil, que ainda possui dependência externa para este insumo mineral, em especial para o Piauí, que tem fortalecido a atividade agrícola na região sul do estado”, acrescenta o pesquisador. Atualmente, o Brasil importa 34% do fosfato utilizado na agricultura e a descoberta de novos depósitos tem como objetivo reduzir a dependência do insumo internacional.