09/08/2018
YAMANA GOLD

Completando 15 anos de atividades

No último dia 31 de julho a Yamana Gold comemorou o seu 15º aniversário de atividades. Nascida em 2003 com o projeto Chapada, no Brasil, desenvolvido posteriormente em 2007, a companha se orgulha de devolver valor até hoje no projeto, sendo que a mina tem uma vida útil de 20 anos. 
 
Ao longo dos anos, a Yamana cresceu por meio de fases de aquisições estratégicas para melhorar e diversificar seu portfólio, além de buscar oportunidades orgânicas em seu portfólio. A empresa tem se concentrado na sustentabilidade de seus negócios e tem procurado melhorar continuamente seu desempenho em todas as métricas de saúde, segurança, meio ambiente e comunidade. “Em 2003, tínhamos a visão de criar uma empresa intermediária de ouro, significativa e dominante, focada em ativos de alta qualidade em jurisdições de mineração mais proeminentes e de maior qualidade na América do Norte e do Sul, para oferecer melhor valor com menor risco”, disse Peter Marrone, que ocupava os cargos de Presidente e CEO da Yamana Gold e que passaram a ser ocupados por Daniel Racine, recém promovido. Marrone agora passou a exercer a função de presidente executivo, cargo criado recentemente.  
 
Segundo Peter Marrone, a companhia alcançou todos os objetivos e muito mais. “Hoje, somos aquele intermediário estabelecido e dominante com ativos e gestão de qualidade. Damos atenção especial nos últimos anos à necessidade de uma gestão de alta qualidade e representação do conselho. Além disso, prestamos atenção à importância da sustentabilidade, focada nas relações de saúde, segurança, meio ambiente e comunidade, em nossos empreendimentos. Criar uma cultura de cuidado para a saúde, a segurança e o meio ambiente está de mãos dadas com nossas obrigações de produzir de forma eficaz, gerar fluxos de caixa e ser lucrativo”. 
 
Atualmente, a Yamana Gold opera sete minas no Brasil, Argentina, Chile e Canadá, com uma plataforma de produção de ouro, prata e cobre. A empresa espera produzir mais de 1,1 milhão de onças  equivalentes de ouro (tratando a prata como equivalente de ouro na proporção de 72: 1) e 120 milhões de libras de cobre este ano com um dos menores custos da indústria.