25/04/2019
OURO

Cascar recebe LI para Borborema

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema), do Rio Grande do Norte, concedeu a licença de instalação do Projeto Borborema, da Cascar Brasil Mineração. A licença aprova a viabilidade ambiental do empreendimento destinado à produção de ouro na zona rural do município de Currais Novos (RN). 
 
O projeto Borborema ocupará uma área de 490 hectares e está voltado para extração mineral e processamento hidrometalúrgico de minério aurífero. O empreendimento terá capacidade de até 4,2 milhões de toneladas/ano. 
 
O Idema concedeu a LI após o projeto Borborema atender todas as condicionantes exigidas pela Lei Complementar Estadual nº 272/04 e a Legislação Federal que rege o meio ambiente. “Este é um processo antigo aqui no órgão, que necessitou de uma análise minuciosa dos estudos ambientais, devido a sua complexidade. Ao longo dos anos ocorreram mudanças no projeto para atender aos critérios de sustentabilidade, uso de novas tecnologias, além de diversas discussões sobre a utilização dos recursos hídricos na região do Seridó”, disse o diretor geral do Idema, Leon Aguiar.
 
A coordenadora do projeto Borborema no Rio Grande do Norte, Jucieny Barrosa, afirma que a LI obtida é uma conquista para a mineração no estado potiguar. “O projeto Borborema em Currais Novos se destaca pela utilização de novos métodos de exploração de minério de forma mais sustentável. O nosso processo industrial utilizará o reaproveitamento de água das Estações de Tratamento de Esgoto (ETE’s) da Caern (Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte) e terá o rejeito filtrado, prensado e transformado em rejeito seco”, destaca a representante da Cascar.
 
Serão investidos R$ 300 milhões na construção da plataforma de operação. Com o projeto em operação, serão gerados cerca de 400 empregos diretos e 1.500 indiretos. A previsão para conclusão da obra é de 18 meses, e o cronograma de início das operações tem previsão para o final de 2020. “O funcionamento da mineradora representará um novo momento econômico para a região Seridó, com geração de emprego de uma forma sustentável e valorização da mão-de-obra local”, finalizou o diretor do Idema, Leon Aguiar

Veja também