03/05/2017
SUSTENTABILIDADE

Blocos fabricados com escória de aço

A Usiminas começou a utilizar blocos de calçamento – ou blocos intertravados – produzidos a partir do agregado siderúrgico. Os blocos são um coproduto gerado no processo produtivo do aço e suas propriedades permitem que ele substitua a areia, pó de brita e a brita empregados na fabricação dos blocos.

A fabricação dos blocos de calçamento é uma parceria entre a Usiminas, Fiemg e a empresa Precomol, com sede no vale do Aço. Até chegar ao bloco de calçamento foram gastos dez meses de pesquisas e testes para alcançar a mistura ideal entre o agregado e as demais matérias primas. “O bloco tem que atender a especificações mercadológicas, ambientais e apresentar uma resistência mecânica alta”, conta Henrique Hélcio Eleto, coordenador do Grupo de Trabalho Coprodutos da Usiminas. Os primeiros blocos apresentam resistência de 35 Mpa, o que possibilita o uso em áreas de trânsito de pedestres e tráfego de carros de passeio. “Continuamos o trabalho de pesquisa conjunta para chegarmos ao bloco com resistência da ordem de 50 Mpa, que suportam o tráfego de veículos pesados como ônibus e caminhões e também para o desenvolvimento comercial de outros produtos como manilhas, muros, mourões, boca de lobo, entre outros”, destaca Eleto.

Inicialmente, os blocos de calçamento desenvolvidos serão utilizados em dois projetos-pilotos na cidade mineira de Ipatinga. O primeiro projeto é o calçamento do estacionamento do Hospital Marcio Cunha, totalizando 4 mil m². Outros 300 m² serão instalados no canteiro central da Avenida 5, entre o Gasômetro e a portaria Centro da Usiminas. Para o canteiro, também está previsto projeto de paisagismo. A partir desses resultados, serão avaliadas as condições para produção em larga escala e comercialização dos blocos ao público.

Para diversificar o produto, a Usiminas desenvolveu também blocos coloridos, de onde o pigmento tem origem de outro coproduto gerado na laminação do aço, o óxido de ferro. O produto é adicionado à massa do bloco, garantindo que toda a peça seja colorida. “Os blocos são produzidos em cinza, vermelho e roxo e atendem todos os requisitos técnicos e de aplicabilidade”, afirma o pesquisador do Centro de Pesquisa da Usiminas e integrante da equipe desenvolvedora, Wilton Pacheco de Araujo.

A utilização do bloco de calçamento agrega outros benefícios ambientais, por substituir recursos naturais finitos, reduzir a necessidade de extração da natureza, além de diminuir o volume de agregado siderúrgico enviado para aterros ou depósito e a permeabilidade do material, o que possibilita a infiltração da chuva no solo. “A partir da parceria, a Precomol incrementou a sua linha de produção com a inclusão de um novo produto”. “Há uma perspectiva real de geração de novos empregos a partir da produção em escala comercial. Temos aí um exemplo claro de economia circular, um dos conceitos mais modernos de integração entre empresas, sociedade e meio ambiente”, explica o coordenador.

Veja também