Alcoa vai retomar produção na Alumar, em São Luís

20/09/2021

A Alcoa Corporation anunciou, hoje (20/9), que planeja retomar a capacidade de produção de 268 mil toneladas de alumínio na usina Alumar, em São Luís, que estava paralisada desde 2015. O processo de retomada da capacidade começará imediatamente. A primeira fundição de metal acontecerá no segundo trimestre de 2022, e a plena capacidade de 268 mil toneladas deverá ser atingida no último trimestre do próximo ano. Em 2024, a refinaria da Alumar será totalmente suprida com energia renovável.  

“Nossa decisão está baseada em uma análise a qual mostra que a fundição pode ser competitiva em todos os ciclos, aproveitando a refinaria no mesmo local, uma forte mão de obra e suprimento competitivo de energia renovável, disse John Slaven, vice-presidente Executivo e CEO da Alcoa. “Com esse reinício planejado, estaremos aptos a construir uma forte capacidade nesse site e capturar benefícios para nossos investidores, clientes, empregados e stakeholders no estado do Maranhão, no Brasil”, acrescentou.  

A fundição é controlada conjuntamente por uma subsidiária da Alcoa e a South32 e possui três linhas de fundição com uma capacidade operacional total de 447 mil toneladas, a qual inclui a participação de 268 mil toneladas da Alcoa. A Alcoa Alumínio, subsidiária da Alcoa Corporation, possui 60% da capacidade de fundição e lingotamento. A South32 controla os outros 40%. 

A retomada da produção na fundição Alumar vai requerer a contratação de mais de 750 empregados e adicionará 850 empregados diretos no site da refinaria de alumina. O custo da retomada é estimado em US$ 75 milhões, incluindo aproximadamente US$ 10 milhões em custos de capital. As despesas da retomada devem ocorrer no quarto trimestre de 2021 e estão estimados em US$ 15 milhões e US$ 20 milhões antes de impostos (US$ 10 milhões e US$ 13 milhões depois de impostos). Com esta retomada, a Alcoa terá aproximadamente 80% dos 2,99 milhões t de capacidade global de fundição de alumínio. 

Otávio Carvalheira, vice-presidente de Operações e presidente da Alcoa no Brasil, disse: “estamos animados com o trabalho que temos pela frente para reiniciar a fundição Alumar de maneira segura e eficiente e apreciamos a colaboração de nosso governo e comunidades ao iniciarmos este importante e prolongado processo para construir a liderança da Alcoa e incrementar nossa competitividade global”.